28 de Janeiro de 2016
Transição capilar - Big chop

Transição capilar: Big chop

É amigos, eu fiz o big chop.
Meu cabelo está bem curtinho e olha, em 20 anos de vida eu nunca o amei tanto. Mas vamos por partes porque tem muita história! Então recomendo que pegue uma pipoca e se sente confortavelmente.

Primeiro, deixa eu explicar o que é o big chop de uma forma bem breve… Mais conhecido como bc, o big chop (grande corte) é um termo da transição capilar que consiste basicamente em tirar toda a parte alisada do cabelo com um belo corte. Todo mundo que passa pela transição precisa enfrenta-lo mais cedo ou mais tarde, mas o momento certo é você que decide.

Como disse no último post, eu estava usando tranças e agora em janeiro completei 5 meses com elas. Minha ideia inicial era usa-las até as férias do meio do ano e aí sim tira-las e fazer o bc. Eu estava adorando, eram lindas, me sentia estilosa (HAHAHA), ajudaram super no crescimento e no geral, era bem prático. Mas o ano virou, o verão chegou e com ele o sol, o calor absurdo e muita praia e piscina para aproveitar. E bom, nessas situações as tranças se tornavam belos empecilhos por N motivos (depois falo melhor sobre isso, se não o post não vai acabar hahaha). Fora que estava chegando a hora de refaze-las e gente… As duas experiências que tive não foram agradáveis. Resumindo: Comecei a ficar agoniada! Eu não estava com a liberdade que procurava ao começar a transição e isso estava me deixando louca e também eu não queria mais passar pelo processo de montagem (?).  Enfim, comecei a arrumar diversos pretestos para tira-las e foi ai que a ideia de fazer o bc surgiu.

Mas é claro que não foi do dia para a noite. Na verdade, passei por uma guerra civil interna bem pesada que durou dias hahahahaha. Apesar de tudo, eu não queria tirar as tranças. Por outro lado, decidi que o melhor momento para fazer o corte seria durante as férias para eu poder me dedicar e me acostumar melhor com meu novo cabelinho. Então era agora, ou só em julho. Fui aos poucos amadurecendo a ideia e quando estava quase certa de que era isso que eu queria, tomei a iniciativa antes de perder a coragem.

Procurei por salões especializados em cabelos crespos e cacheados e foi aí que me apareceu o Lunablu. Dei um breve bizu para ver qual era a do salão, gostei, liguei e marquei o corte para a última sexta-feira, dia 22. E lá fui eu, super nervosa, rumo a Madureira (o bairro aqui do Rio onde fica o salão), acompanhada de minha mamis poderosa.

Já falei que eu estava super nervosa?

Eis que cheguei lá, toda animadinha, e de cara gostei do espaço. O salão é bem espaçoso e possui uma decoração bem clean e tranquila. Como ainda era cedo, lá não estava muito cheio e logo fui atendida. A primeira profissional a falar comigo foi a Sylvia, responsável pelo corte, e antes de mais nada ela fez uma breve avaliação do meu cabelo. Perguntas respondidas, avaliação feita, partiu corte!!

A Sylvia foi cortando mecha por mecha com muito cuidado e precisão e só sei que conforme via meus cabelinhos caindo eu queria chorar HAHA. Mas me segurei!! Quando terminou, eu estava assim:

Big chop 2

Vish, ainda bem que não acabou por aí né?

Chegou então a hora da Vanessa entrar em ação. Foi ela que lavou, hidratou e finalizou meu cabelo, utilizando só os produtos do próprio salão. Lembra da tal avaliação que fiz lá no início? Então, conversando comigo para saber mais sobre meu cabelo e meus gostos, a Sylvia recomendou que eu usasse a linha Care dos produtos Lunablu. Eles prometem definir mais os cachos e reduzir um pouco o volume, o que achei ideal para a minha situação atual pós bc, mas sobre eles eu falo depois! Estou gostando do resultado e é o que importa hahahaha.

Big chop 1

Finalizando…

Big chop 3

E… Prontinho!

Finalmente, livre da química, livre da prisão capilar, livre de tudo!!! Logo de cara eu a-d-o-r-e-i, e sinceramente? Não há felicidade maior. Eu estava morta de medo de ficar feia, de não gostar, me arrepender, não saber lidar… Enfim, mil inseguranças que estavam me impedindo de experimentar essa sensação maravilhosa! Ainda bem que a coragem bateu na porta, pois eu nunca estive tão satisfeita com meu cabelo. Estou adorando, me achando linda e indo muuuuito a piscina hahahahaha!

Obrigada Sylvia e Vanessa por terem cuidado tão bem do meu cabelo! O atendimento foi nota mil e as meninas são ótimas profissionais. Elas foram super simpáticas e delicadas (devem ter notado meu nervosismo hahahaha), me passaram muita segurança e paz, e de quebra me deram várias dicas 😉 Salão mais que aprovado.

Big chop 4

Essa é a unica foto decente que tenho por hora, inclusive foi a que postei no instagram. Mas em breve faço um post com fotos melhores para vocês verem como que ficou. Para quem está em transição e com medo de fazer o bc, só digo uma coisa: Miga, se jogaaaaaaa!!!! Cabelo cresce e eu te garanto que vai ficar melhor do que já está. Fora que, a liberdade é tão grande que faz tudo valer a pena.

Big chop 4

Adeus química!!! Até nunca mais!
E que venham os meus cachinhos ♥


26 de outubro de 2015
Transição capilar: Trança rastafari

Transição capilar: Mudanças drásticas

Eu nunca sei o que eu quero. Eita pessoa indecisa hein!

A pouco tempo fiz um post falando sobre o início da minha transição capilar (eis ele aqui), onde contei que, dentre vários caminhos que eu havia avaliado, acabei escolhendo passar pela transição com um tratamento do Beleza Natural, chamado super relaxante. É uma química doida, que promete vários resultados e benefícios que aparentemente não são verdades.

Depois de eu ter passado a tal química do super relaxante e cortado meu cabelo um pouco a cima do ombro, fui procurar saber mais sobre esse processo e ver a opinião de outras pessoas. Sim, só depois que fui ler a respeito. Idiota sim ou óbvio? Conclusão, não achei muitas coisas positivas. Na verdade, a grande maioria dos comentários eram críticas. E eu, rapidinho, decidi que não iria mais “tratar” lá.

Gastei grana e tempo atoa 🙁 Me vi perdida no meio de tanta informação sobre cabelos cacheados e crespos, sem entender nada. Admiro e bato palmas para essas meninas que passam pela transição apenas esperando a raiz crescer e tentando lidar com ela da melhor maneira possível, mas isso não dá para mim. Com 3 dedos eu já iria desistir. O bom é que há sempre uma luz no fim do túnel, não é?

Uma amiga da minha mãe me recomendou uma cabeleireira aqui do bairro, que é especializada nesse tipo de cabelo. Ela mesmo faz o cabelo com essa moça e aparentemente “ela é incrível, pode confiar”. E bom, eu fui lá ver qual é. Depois de muitas explicações, conversas e conselhos com a cabeleireira (que é realmente muito boa), decidi que iria trançar o cabelo, melhor dizendo, fazer a tal da trança rastafari. Eu fiz, já faz um tempo, e estou apaixonadaaaa! ♥.♥

Transição capilar: Trança rastafari

Transição capilar: Trança rastafari

Comecei trançando só na frente, no estilo nagô (não tenho foto para mostrar como estava 🙁 ), fiquei assim duas semanas e então trancei ele todinho, como está na foto. E olha… Foi a melhor coisa que já fiz. Achei que ficou muito lindo! É diferente, autêntico e muito prático. Acordo de manhã já pronta, ganhei até mais alguns minutinhos de sono. E o melhor é que não estou usando nenhum tipo de química, que é a ideia desde o início, e o cabelo cresce sem eu sentir. Aliás, está crescendo bem rápido.

Transição capilar: Trança rastafari

Transição capilar: Trança rastafari

Todo ser humano que se depara com meu cabelo pela primeira vez faz duas perguntas, que acredite se quiser, são sempre iguais. “Como você faz para lavar?” e “isso não pesa ou incomoda?”. É sempre a mesma coisa, estou até pensando em andar com uma plaquinha pendurada no pescoço já com as repostas.

Bom, para lavar é completamente normal. Massageio o couro cabeludo com as pontas dos dedos e puxo o shampoo para as tranças, como se fossem os fios mesmo. Uau né? Sobre pesar ou incomodar… No primeiro dia pesa e incomoda sim, e é até um pouco dolorido já que os fios são bem puxados. Mas logo no dia seguinte passa, pelo menos comigo passou, e fica bem natural.

Só que nem tudo nessa vida é perfeito. Para mim, os pontos positivos superam os negativo, mas mesmo assim eles existem e incomodam.  Por exemplo:

  • Preciso dormir todas as noites com um lenço na cabeça para não bagunçar as tranças.
  • Tenho que lavar o cabelo cedo, caso contrário ele não seca e isso dá cheirinho ruim.
  • Lavar é bem chatinho pois o início da trança requer muito cuidado e delicadeza para que o penteado dure.

Essas são, na minha opinião, as as partes mais chatinhas que uma trançada precisa aturar. Ah! Mas com certeza a o pior é o montar as tranças. Demora MUITO, muito mesmo. Fiquei, praticamente, o dia todo no salão hahaha. Mas fora isso, é tudo lindo e muito amor. E o legal é que dá para variar e brincar bastante com o estilo. Posso aumentar, diminuir, colocar algumas cores… Enfim, o que não falta é opção hahaha, assim a gente não enjoa não é? E eu pretendo ficar assim até meu cachinhos começarem a dar sinal de vida ♥.

Tem alguma trançada por aí? Me conta como foi/está sendo sua experiência!


Página 1 de 212