29 de agosto de 2015
Resenha: A Elite de Kiera Kass

Resenha: A Elite

Me desculpe caso a resenha fique meio… Ruim (?). Já faz um tempo que li a trilogia, então pode ser que fique faltando algumas coisas (não me julguem!!!). Ahhh, e talvez tenham alguns spoilers para quem ainda não leu o primeiro livro da série. Já avisando para não ter tapa depois hahaha. Vamos lá?

Resenha: A EliteTítulo: A Elite.
Autor: Kiera Cass.
Editora: Seguinte.
País: EUA.
Gênero(s): Romance.
Data de publicação: 2013.
Páginas: 360.
Sinópse: A Elite – A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais América se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos. América precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. 

Na resenha de “A Seleção”, o primeiro livro, cheguei a comentar que achei que faltou um pouco de ação e emoção. Melhor dizendo, acontecimentos. Tudo é um pouco parado sabe? Não há grandes novidades. Bom, dessa vez a coisa muda um pouco de cara… Siiiiiiim, coisas acontecem! ~uhuuul~. E sim, é relacionado aos Rebeldes, justamente o que senti falta no livro anterior.

Resenha: A Elite

A Elite é como a segunda fase da seleção, restaram apenas 6 meninas disputando o cargo de futura esposa, escolhidas a dedo por Maxon. Desta vez América começa a demonstrar mais seus sentimentos por Maxon, que também deixa BEM claro o quer. Mas mesmo assim, ela continua muito dividida entre o príncipe e Aspen, seu primeiro e grande amor (zzzzzzzzzzz).

Conforme o desenrolar da história, América vai se envolvendo e se apaixonando cada vez mais por Maxon. A verdadeira vontade de nossa protagonista já está bem claro, mas é claro que nada para ela é tão simples (Rainha do mimimi). Já sabendo das intenções e vontades do príncipe, ela começa a questionar a vida, os costumes, hábitos e responsabilidades de Rainha que iria assumir (sim, isso é o suficiente para ela ficar com um pé na atrás no relacionamento deles) e adivinha só? Aspen se torna soldado do castelo!!! Resultado: O “ex amor da vida” passa a ficar no pé da pobre e indecisa menina, o que não ajuda em nada nas dúvidas da mesma.

E para ajudar, diante a indecisão de Meri, Maxon decide que não pode ficar a disposição da madame e começa a se envolver mais com as outras selecionadas, o que preciso dizer, me deixou um pouco irritada com ele. Com isso, Maxon acaba se afastando um pouco de Meri e a situação só se embola ainda mais.

Deu para entender a novela mexicana que acontece? Espero ter conseguido explicar.

Resenha: A Elite

Mas, apesar de parecer, a história não se baseia simplesmente nesse grande triângulo amoroso, que na minha opinião é bem chatinho. No geral, não gosto de triângulos amorosos.

Como falei lá no início, temos mais acontecimentos nesse livro, o que é um super ponto positivo para a história. Nos envolvemos mais nas questões políticas e históricas de Illéia (que mesmo assim me deixou com um gostinho de quero mais), em como funciona o dia a dia e as funções reais e por fim, nas questões dos Rebeldes, que irão resultar em algumas emoções e explicações.  Inclusive, uma das melhores cenas acontecem após um babado relacionado à eles hihihihi <3.

A autora também deu mais ênfase à alguns personagens secundários, o que para mim, foi essencial. Eu não ia aguentar o livro inteiro focando apenas na América, no Maxon e no Aspen e trazendo os secundários literalmente de forma secundária. Kiera acertou em cheio ao mostrar mais os outros personagens e criar um desenrolar para a história pessoal de cada um deles. Acabamos conhecendo melhor o Rei e a Rainha (o mais maldito e a mais fofa), as outras selecionadas e as criadas de Meri. Quero dar um grande destaque a Marlee, que é a minha personagem favorita e que possui a história mais bonita.

Continuo apaixonada pelo Maxon (team Maxon!!), que mesmo me dando raiva em alguns momentos eu não consegui tirar a razão dele em certas ações. Também continuo gostando da America, mas somente por ela ser forte e ter esse jeito de fazer o que ela acha certo, fora isso… Minha vontade era de entrar na história e socar a cara dela diversas vezes. Ô menina complicada cara!!!!!! Muito mimimi para o meu gosto. E Jaspen… Ah Jaspen, por quê? Eu terminei “A Seleção” gostando muito dele, e agora termino “A Elite” querendo que ele suma! Hahahahaha. Minha opinião: inconformado e inconveniente.

Resenha: A Elite

Resenha: A Elite

Concluindo…
Há alguns acontecimentos bem inesperados e muuuuuito legais, que ajudam a prender a nossa atenção e não querer para de ler e é muito melhor que o primeiro em questões de assuntos explorados e envolvimento de outros personagens. A única coisa que aponto como negativa é, como já falei várias vezes, o triângulo amoroso. Achei que se arrastou demais e a indecisão da América me deixou muito irritada. Minha impressão é de que, enrolou e enrolou para basicamente acontecer o que já era esperado. Mas mesmo assim, as cenas de romance entre os casais separadamente é bem legal, fofo e me arrancou vários suspiros.

Vale super a pena ler! Eu, pelo menos, gostei MUITO. Achei a história linda e não consegui largar o livro em momento nenhum. Alguns personagens me decepcionaram, mas ao mesmo tempo outros me cativaram ainda mais! Uma das coisas mais legais nos livros é justamente esses personagens autênticos com personalidades bem fortes. Eu havia gostado muito do primeiro, mas esse superou! E o final??? Ah… É um amor!

O próximo e último da série promete… O babado vai pegar fogo!


2 de julho de 2015
Resenha: A Seleção

Resenha: A Seleção

Quando a Kiera Cass lançou o livro, admito que minha primeira impressão foi: livro sem graça para meninas de 12 anos, sério hahaha. Mas logo o livro começou a ganhar popularidade e eu comecei a ver várias e várias resenhas por aí. Quando eu vi, estava louca para ler a trilogia. Finalmente, tomei vergonha na cara e comprei os livros e bom, fiquei apaixonada! Viciei completamente! Para terem uma noção, eu li cada livro em um dia Hahahahaha (quando eu fico viciada paro de viver para me dedicar ao vício). Já faz um tempinho que eu li os livros, mas como foi o último que me fez ficar depressiva por ter acabado, resolvi fazer resenha dele. Continuo achando a história um pouco água com açúcar, porém, é muito boa.
Ficha técnica: A Seleção A história se passa em Illéia, aonde a sociedade é dividida em castas numeradas até 8, sendo que quanto maior o número, mais pobre e sofredor você é. Nossa protagonista é America Singer, da castas 5. Uma menina simples, humilde e de personalidade muito forte, que vive com sua família da melhor maneira que eles encontram. Não estão na miséria, mas a situação é bem próxima a isso.

A vida de America não é nada fácil. Depois que seus irmãos mais velhos saíram de casa, ela assumiu suas responsabilidade e por isso, precisa trabalhar dobrado para ajudar a família. Sua mãe a perturba para que ela se inscreve no concurso A Seleção e, para completar, ela precisa manter em segredo seu e amor por Aspen. Por ele ser de uma casta inferior (a castas 6) eles temem que os pais dela não aceitem o compromisso.

A Seleção é um concurso feito para que o príncipe e herdeiro de Illéia, Maxon, escolha sua futura esposa, princesa e parceira para assumir os compromissos reais. São selecionas 35 garotas que vão morar por um tempo no castelo para que o príncipe possa interagir com cada uma e, assim, escolher a sua querida.

Nunca havia passado pela cabeça de America participar do concurso. Primeiramente por ela amar Aspen e querer uma vida ao seu lado. Depois, ela achava o príncipe e a vida no castelo ridículos. Mas por pedidos de seu amado, ela se inscreve no concurso com a certeza de que não daria em nada. O inesperado ocorre e America é selecionada para ir para o castelo, sem nem imaginar que sua vida mudará completamente depois disso.

Olha, continuo achando que o livro é para meninas hahahahaha. Não há muitos acontecimentos, a história é mais a vida no castelo e os conflitos amorosos de America. A partir do segundo, a situação muda um pouco de cara. Mas, para quem gosta de um romance e de uma leitura leve e tranquila, eu digo uma coisa: pode ter certeza, você vai AMAR.

Como eu disse, a leitura é bem fácil, tanto que li um por dia hahaha. Eu gostaria que tivesse tido mais ações e cenas para me deixar aflita, um pouco mais de emoção sabe? A história dos rebeldes com certeza teria proporcionado isso, se tivesse sido melhor explorada. Mas tirando isso, não senti falta de nada nadinha! Eu fiquei simplesmente apaixonada pelos personagens, desde America, passando pelas outras selecionadas, até o Rei (sim, eu gostei do Rei).

Maxon foi sem dúvida o meu favorito, ele é simplesmente apaixonante. E diferente da maioria das história que vemos, ele é o “herói” sem precisar ter aquelas características de machão, super protetor, guerreiro e afins. Pelo contrário, ele é delicado, sensível e sentimental. Eu A M E I. Também gostei muito da America (apesar de querer bater nela diversas vezes), mas suas características são mais comuns. Forte, determinada, independente… Algumas ações dela me lembraram a Tris de Divergente, esse jeito impulsivo de ser. Suas criadas são simplesmente apaixonantes, assim como grande parte de sua família. As Selecionadas também são incríveis e autênticas, cada uma me conquistou de uma forma – destaque para a Marlee. E nem vou falar da Rainha Amberly, muito amor!! ♥

Fiquei com raiva de todos os personagens em algum momento das história, alguns, com muuuita raiva hahaha. Mas no final fiquei extremamente apegada a todos eles. Quando terminei, fiquei em depressão :'(
E eu nem vou falar do romance entre America e Maxon e ao mesmo tempo America e Aspen. Claro, tenho o meu shipp favorito massssss, os dois são demais! Sou suspeita para falar pois amo uma história de amor.

Apesar do grande foco do livro ser amor e relacionamentos, vemos assuntos muito interessantes que, porém, não são muito abordados, como política e principalmente a desigualdade social. E eu gostaria muito que a Kiera tivesse dado mais atenção a eles.

É uma história linda com personagens que simplesmente me conquistaram. Um mundo diferente que eu, sem dúvida nenhuma, recomendo para todos sem nem pensar duas vezes. Corre lá e lê, para então, surtarmos como fangirl juntos hahahaha. Mal posso esperar pelo filme… Ou melhor, espero que não estraguem o filme hahaha. Pode ter certeza que meu ingresso para a estréia está garantido.